Publicações

  • Asma e Refluxo
    « Voltar · 26/SET/2017

     

    COMPARTILHE:

     

    ABRA-SP
    No processo de digestão, o alimento é triturado na boca, sofre ação de enzimas e é conduzido através do esôfago para o estômago. Na parte inferior do esôfago, existe uma válvula chamada de esfincter esofageano inferior. Quando ocorre uma falha do fechamento dessa válvula, o conteúdo do estômago, volta para o esôfago, sendo chamado de Refluxo Gastroesofágico. Acomete adultos e crianças, ocorrendo em 20 a 30% da população geral. O retorno do conteúdo gástrico para o esôfago provoca sintomas ou complicações, que chamamos de Doença do Refluxo Gastroesofágico. Os principais sintomas são: dor torácica em queimação; azia; regurgitação; vômitos; salivação excessiva; emagrecimento; rouquidão; tosse crônica; otite; sinusite: pneumonia de repetição; rinite e asma. Nos lactentes ocorrem choro, irritabilidade excessiva, recusa alimentar e dificuldade de ganhar peso. Existe uma associação importante entre Asma e Doença do Refluxo Gastro- Esofágico, sendo que 15 a 40 % dos asmáticos apresentam sintomas de refluxo e a prevalência do refluxo gastroesofágico é maior em asmáticos que em pacientes não asmáticos. Sendo assim, o RGE é um potente fator desencadeante de Asma, podendo causar ou agravar a asma. Por outro lado, devido a aspiração do conteúdo gástrico até a faringe ou por bronconstrição reflexa por estímulo do nervo vago, o Refluxo pode desencadear a asma. Para se obter o diagnóstico da Doença do Refluxo Gastroesofágico é importante uma história clínica detalhada, associada a exames complementares, que devem ser realizados com critérios específicos para cada paciente. Algumas medidas gerais compõem o tratamento, como redução de peso, diminuição do volume das refeições, dieta adequada, não deitar após refeições, elevar a cabeceira da cama, evitar uso de roupas apertadas, realizar exercício físico regularmente. O tratamento medicamentoso é realizado através do uso de substâncias que alterem o pH do suco gástrico ou que permitem um esvaziamento gástrico mais rápido. Nos casos mais graves pode ser indicado o tratamento cirúrgico. Sendo assim, a pesquisa de Refluxo Gastroesofágico deverá ser considerada na avaliação dos pacientes asmáticos que apresentem sintomas digestivos e também nos pacientes que não apresentem uma resposta adequada ao tratamento habitual da asma. EVITE:
    Doces, chocolates, frituras e alimentos gordurosos, comidas condimentadas e picantes, bebidas gasosas e alcoólicas, alimentos ácidos; Frutas cítricas: laranja, limão, abacaxi; Leite (exceto os livres de gorduras); Vegetais crucíferos como cebola, repolho e brócolis; Café; Uso contínuo de anti-inflamatório; Cigarro; Vitamina C em excesso

     

    Listar Todas as Publicações
Receba novidades
Alameda Iraé, 620 conj. 103 - Moema - São Paulo/SP - CEP: 04075-903 - Fones: (11) 5549-8199 | 3501-8854 | 0800 773 8199
2017 © ABRA - Associação Brasileira de Asmáticos - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por