Perguntas Frequentes

  • Home
  • /
  • Perguntas Frequentes
1. O que é Asma?
É uma doença pulmonar inflamatória crônica, com episódios recorrentes de : falta de ar, tosse crônica, chiado e aperto no peito, que se agrava à noite e nas primeiras horas da manhã. A gravidade da asma varia de pessoa a pessoa, daí a classificação de leve, moderada e grave.
2. O que causa asma?
Vários são os fatores desencadeantes ou agravantes tais como: Alérgicos ( pó domiciliar, ácaros, fungos, polens, pêlo e saliva de animais); Infecção respiratória viral; Irritantes (fumaça em geral e principalmente de cigarro, poluição do ar, aerossóis etc.) variação climática como exposição ao frio; alteração emocional; medicamentos (aspirina, anti-inflamatório não hormonal, beta-bloqueadores); e exercícios. Alguns pacientes asmáticos podem apresentar história familiar de asma e ou rinite.
3. Quem tem asma?
A Organização Mundial de Saúde avalia que entre 100 a 150 milhões de pessoas no mundo tem asma e este número está aumentando. A asma é um problema de saúde pública em países desenvolvidos e em desenvolvimento. A asma ocorre em todas as idades e todas as raças, entretanto é mais comum na infância. É a doença crônica mais comum que causa ausência na escola.
4. Como diagnosticar a asma?
Uma história clinica bem feita, pesquisando os sintomas de tosse, falta de ar, chiado e aperto no peito ou desconforto torácico; tentando identificar os fatores desencadeantes ou agravantes alérgicos ou não, tais como: pó, ácaros, pêlo de animais, fumaça de cigarro, poluição, cheiros de produtos químicos, variação de temperatura, exercícios físicos, alteração emocional. O exame físico pode ser totalmente normal nos pacientes fora de crise. Nas formas mais graves da doença podemos encontrar o tórax deformado.
5. Como tratar a asma?
O tratamento da asma é um programa de parceria do médico e o paciente e, ou seus familiares.Orientar o paciente e, ou seus familiares a identificar e evitar os fatores agravantes e desencadeantes especialmente no ambiente domiciliar.Educar e orientar o paciente e, ou seus familiares sobre sua doença para que possa entender o processo de inflamação e a broncoconstrição (estreitamento do brônquico), diferenciando os dois tipos de medicamento. Os de alívio imediato que são os brocodilatadores, os que agem na inflamação e os antiinflamatórios inalatórios para tratamento de manutenção.Ensinar ao paciente a usar adequadamente a medicação.
6. Depois de correr na esteira começo a sentir falta de ar e preciso parar, porque?
Exercícios intensos realizados por pessoas pouco treinadas pode desencadear a asma. Provavelmente o esforço esta muito acima do seu condicionamento físico, você deve procurar manter um controle, intensidade de exercício adequada para evitar a crise de asma.
7. Minha Asma irá melhorar se praticar natação?
Com certeza, não só a natação, mas qualquer atividade aeróbia promove a melhora do sistema cardiorrespiratório, diminuindo o número de crises com a sua intensidade.
8. Quem fuma pode desenvolver Asma?
Não, o ato de fumar não torna a pessoa asmática. A asma é uma doença que provavelmente, tem uma base genética, isto é, a pessoa nasceria com uma alteração dos seus genes, o que poderia predispô-la a ter crises de falta de ar e chiado. Assim, a pessoa nasceria com uma predisposição à ter a doença e as crises poderiam ser desencadeadas em qualquer época da sua vida ( a maioria das pessoas tem a primeira crise antes dos 3 anos ), dependendo dos estímulos a que estivesse submetido ( cheiros fortes, infecções virais, fumaça ). Assim, apesar do cigarro não levar a pessoa a ser asmática, por outro lado, em pessoas asmáticas a fumaça do cigarro é um dos fatores desencadeantes de crises e por isso o tabagismo deve ser evitado.
9. O asmático pode desenvolver enfisema Pulmonar?
Não. Asma é uma doença inflamatória crônica com fundo genético, com crises de contração do brônquio levando à falta de ar, sendo reversível. Enfisema é uma doença desencadeada principalmente pelo uso do cigarro, caracterizada por lesão das paredes dos alvéolos, sendo irreversível. Então, elas são duas doenças distintas. Só 5% dos pacientes asmáticos apresentam sintomas contínuos, necessitando o uso crônico de corticoides e drogas broncodilatadoras, assemelhando-se ao quadro de falta de ar crônica que os enfisematosos tem( que é chamada de doença pulmonar obstrutiva crônica ou DPOC).
10. O que é o AntiIgE?
É uma nova terapêutica para alguns pacientes asmáticos. A IgE (ou imunoglobulina E) é o anticorpo responsável pela reação alérgica. A reação alérgica acontece quando a IgE se liga ao antígeno causador de alergia que podem ser alimentos, ácaros, pólens ou proteínas de animais domésticos (cão, gato...), ou outras substâncias que atravessam as mucosas digestivas ou respiratórias. Após a ligação da IgE com o antígeno começa a reação alérgica com a liberação de histamina e outras substâncias químicas pelas células ligadas à IgE (mastócito e basófilo).
A histamina e as outras substâncias químicas são as que provocam os sintomas alérgicos como tosse, chiado no peito, falta de ar, coriza, espirros, vermelhidão e coceira na pele.

11. Qual o principal agente causador de alergias respiratórias?
Sem dúvida o ácaro é o maior responsável pelas alergias respiratórias. O ácaro é um bichinho muito pequeno que vive na poeira acumulada dentro dos ambientes domésticos, invisível à visão normal, alimenta-se da descamação de pele humana e de animais, e restos de alimentos, é encontrado em quantidades que podem chegar a 2000 por grama de poeira doméstica. Os locais onde eles residem são: travesseiros, camas e colchões, estofados, bichos de pelúcia, carpetes, estantes de livros, cortinas.....

12. Como os ácaros estão em toda a parte, de que forma podemos amenizar sua ação?
Devemos concentrar a limpeza da casa, por exemplo, no quarto de dormir, na sala, escritório, biblioteca e salas de TV, onde o alérgico passa a maior parte do tempo. Para a limpeza, devemos usar aspirador de pó e pano úmido.

13. O que podemos fazer para evitar o pó de casa?
Medidas simples são fundamentais para diminuir o contato com o ácaro e o pó doméstico. È claro que não podemos evitar totalmente a poeira, nem combater completamente os ácaros, mas através de medidas simples de controle ambiental, onde vive o alérgico, pode-se diminuir bastante a quantidade de ácaros e pó.
Aí vão algumas dicas interessantes que podem ajudar muito no controle ambiental:

  • Deixe o ambiente do convívio diário, principalmente o quarto, bem limpo e arejado.
  • A limpeza deve ser diária com aspirador (de preferência que tenha o Filtro HEPA) e pano úmido, sem produtos com cheiro forte.
  • Não usar vassouras, pois espalham a poeira fina, que ficará em suspensão e voltará a se depositar.
  • Retire tapetes, carpetes, cortinas, almofadas, estantes com livros, enfim, tudo que facilite o acumulo de pó.
  • Encapar colchões e travesseiros com tecido específico, que constituirão uma barreira física contra o ácaro, são também de grande valia.
  • Evite animais dentro de casa.
14. Estou grávida, posso ter um filho com Asma ?
Pode.
Se a mãe OU o pai da criança forem asmáticos ou forem portadores de rinite alérgica ou ainda alergia de pele, as chances aumentam.
Se a mãe E o pai forem portadores dessas doenças as chances são maiores ainda. Isso não quer dizer que não podemos ter pai ou mãe com estas doenças e o filho não ter absolutamente nada ou filhos de pais sem qualquer doenças ter asma. Estatisticamente as chances são maiores.

15. Posso tomar medicação para minha asma nos três primeiros meses de gravidez?
Não só pode como deve. Principalmente quando esses medicamentos é que estão controlando sua asma adequadamente. Agora, qual o medicamento que voce deve ou pode tomar, deve ser decidido pelo seu médico.
16. Posso ter asma e não chiar?
Sim, asma é considerada um processo inflamatório crônico das vias aéreas que se manifesta geralmente por episódios de tosse, particularmente noturna e pela manhã, sensação de aperto no peito, chiado e falta de ar. Porém, apesar dessa inflamação ser contínua, muitas vezes o asmático é assintomático, outras vezes os sintomas podem ser por exemplo só a tosse matinal ou noturna, sem chiado. Além disso, alguns asmáticos são hipoperceptores ou seja, têm função pulmonar abaixo do esperado porém, não sentem nada.
17. A asma desaparece com a idade?
A asma é considerada uma inflamação crônica das vias aéreas que não tem cura. Porém, em alguns indivíduos os sintomas desaparecem, muitas vezes por anos. Existe uma história natural da doença. Na maioria dos asmáticos, as manifestações começam na infância e tendem a amenizar ou desaparecer até a adolescência. Alguns voltam a ter depois de adultos, outros não. Em outros a doença se manifesta somente depois de certa idade. Não existem ainda explicações definitivas para estas variedades na história natural da doença porém, o que provavelmente explica estas diferenças são as variações genéticas (já que existem vários genes envolvidos) associadas as diferenças na exposição ambiental. Assim, teoricamente a asma não desaparece com a idade mas o que muitas vezes desaparecem são os sintomas da doença.
18. O stress pode piorar a asma?
Os fatores emocionais podem atuar como fatores de piora da doença, mas sózinhos, sem outras alterações orgânicas, tem pouca ou nenhuma interferência. È verdade que pessoas que tem asma geralmente já passaram por situações de crises, de internações, usam medicações por longo tempo e às vezes sentem-se desanimadas. Por isso é muito importante a confiança no seu médico e a dedicação ao tratamento.

DICAS  PARA COMBATER O STRESS:

  • Se tiver várias  coisas para fazer num mesmo dia, liste os compromissos e começe pelos mais importantes. Se der, faça o resto. 
  • Ficou nervoso? Respire fundo, conte até dez  e pense: será que vale a pena? 
  • Tire alguns minutos do dia para voce, ouça música, cante, leia   ou não faça nada. Mas tenha certeza de que esse tempinho é só seu. 
  • Mexa-se, ande, desça escadas, ande a pé. Os exercícios melhoram a asma e ajudam a relaxar. 
  • A crise está querendo começar? Faça a medicação orientada por seu médico e pratique uns exercícios  de relaxamento. Muitas vezes a crise vai embora quando estamos mais calmos. 
  • Você está esquecendo de tomar os remédios? Procure estabelecer horários   fáceis ou associar o uso com seus hábitos. Por exemplo: aplique a bombinha preventiva todos os dias, antes de escovar os dentes. 
  • Guarde o remédio no banheiro, assim voce não esquece sua medicação. 
  • Alimente-se bem, tome bastante  água e sucos, vitaminas e sais minerais contidos nos vegetais e frutas   são utéis para combater a ansiedade.
19. O que é a DPOC?
DPOC é uma sigla que quer dizer Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica.
É conhecida como enfisema pulmonar e/ou bronquite crônica. Apesar de ser uma sigla que existe há muitos anos, ela não é tão conhecida do público leigo quanto são os nomes asma, diabetes ou infarto.
Como o próprio nome indica, ela é uma doença que acomete os pulmões e se caracteriza por tosse, catarro e falta de ar.
Noventa por cento das pessoas que tem DPOC são fumantes ou ex-fumantes; os outros 10 % são pessoas que trabalharam ou trabalham em ambientes com pó ou gases tóxicos. De um modo geral, após 15 a 25 anos de exposição à um agente nocivo (cigarro ou algum outro) a pessoa passa a ter tosse com o catarro, caracterizando que os brônquios estão inflamados (à esta fase dá-se o nome de bronquite crônica e já começa aparecer a falta de ar).
Com a continuidade da exposição ao agente tóxico, começa a haver destruição das paredes dos alvéolos, fazendo com que o pulmão perca sua elasticidade (à esta lesão dá-se o nome de enfisema e a falta de ar está mais intensa).
Portanto, a DPOC é uma doença pulmonar que tem inflamação dos brônquios e destruição dos alvéolos. Habitualmente, predomina a bronquite crônica no início da doença e mais tarde predomina o enfisema.
A inflamação da bronquite crônica pode ser melhorada com broncodilatadores e anti-inflamatórios, mas o enfisema é uma lesão irreversível e progressiva. Existem, aproximadamente, 7,5 milhões de brasileiros com DPOC; ela é a 5a. causa de morte
no país e são hospitalizados, anualmente, em torno de 300 mil pessoas; 30 mil pacientes com DPOC morrem por ano.
Em conclusão, a DPOC é uma doença grave, totalmente previsível, desde que você seja fumante ou ex-fumante. Para evitá-la, pare de fumar!!!

20. Por quê usar cortisona na crise de asma ?
Atualmente, já está claro que a asma é uma doença inflamatória crônica e que, de tempo em tempo, pode ocorrer agudizações. O que quer dizer isto ? Vamos ver o que acontece quando uma pessoa tem reumatismo e a articulação está inchada, vermelha e dolorida; não tem bactéria no local, não tem infecção. Na articulação se acumulam algumas células que circulam no sangue (glóbulos brancos) as quais produzem várias substâncias que são chamadas de mediadores inflamatórios. Estes mediadores é que levam a articulação a inchar, ficar vermelha e a doer. Na asma acontece a mesma coisa; quando a pessoa está em crise, estes mesmos glóbulos se acumulam nos brônquios e liberam os mediadores inflamatórios, e no pulmão eles fazem a mucosa do brônquio ficar inchada, produzir mais secreção ( por isto é que a pessoa tem catarro quando está em crise) e a contrair o músculo que envolve o brônquio. Estes 3 acontecimentos contribuem para que o ar tenha dificuldade para passar através do brônquio. Quando se usa o broncodilatador inalado, há um alivio imediato porque o músculo do brônquio, que estava contraído, se relaxa; no entanto, após 4 a 6 horas depois a falta de ar volta novamente porque o processo inflamatório continua no brônquio e continua a produzir os mediadores inflamatórios. Este processo inflamatório só vai melhorar se a tomar um antiinflamatório. Há 2 famílias de antiinflamatórios: Uma é chamada de antiinflamatórios não hormonais e é muito usada para reumatismo, artrite e dores musculares (Aspirina, Cataflan, Voltaren, Indocid, por exemplo) mas eles não tem nenhuma ação no pulmão do asmático. A outra família é a dos antiinflamatórios hormonais, que são as cortisonas (Meticorten, Decadron, Diprospan, Celestone, Prelone, Prednisolona e alguns outros); estes são os únicos antiinflamatórios que tem ação no pulmão e estão indicados todas as vezes que a pessoa tem uma crise mais intensa. Uma inflamação no brônquio por uma crise de asma pode durar de 3 a 10 semanas para desaparecer. Enquanto a inflamação estiver lá, a pessoa fica mais sensível de ter outra crise, e cada vez que tem outra crise, mais inflamado o brônquio fica Infelizmente criou-se um mito contra o uso da cortisona e muitos pacientes ficam com medo do seu uso porque lhe disseram que a cortisona tem muitos efeitos ruins. Realmente, ela tem os seus efeitos ruins, mas no caso do tratamento da crise de asma, os efeitos bons são muito superiores aos efeitos ruins. O seu médico conhece quais são os efeitos indesejáveis da cortisona e se ele está te recomendando o seu uso é porque ele acha que este é o momento certo de tomá-la. A crise de asma é facilmente tratada com cortisona e broncodilatador inalado. Confie no seu médico e tenha uma vida mais tranqüila, convivendo bem com a sua asma.
21. O que é Bronquiectasia?
O termo Bronquiectasia significa uma dilatação permanente e irreversível de um ou mais brônquios. As bronquiectasias podem ser congênitas (a pessoa nasce com esta mal formação) ou é adquirida (após tuberculose, pneumonia, fibrose cística, efeito do tabagismo, etc...). Também pode ser focal(localizada em um segmento ou lobo do pulmão) ou difusa.
22. O que é Rinite Alérgica?
Nada mais é do que a inflamação do nariz causada devido a uma alergia respiratória. Os principais sintomas da Rinite Alérgica são espirros em salva, obstrução nasal, coriza e coceira no nariz. Podem ser acompanhados de coceiras nos olhos, garganta, ouvidos, entre outros sintomas. Na maior parte dos casos a sensibilidade alérgica envolve os ácaros da poeira de casa. É muito comum o paciente apresentar sintomas de Rinite e Asma associados, isto porque na realidade são manifestações distintas de uma mesma doença, a Alergia Respiratória, que pode afetar todo o trato respiratório.

23. As bombinhas viciam?
As "bombinhas" não viciam, o que acontece é que a asma é uma inflamação crônica das vias aéreas inferiores (brônquios e bronquíolos) e como a maioria dos asmáticos não trata essa inflamação, usa apenas broncodilatadores para aliviar seus sintomas, com o tempo, a tendência é essa inflamação ir aumentando e assim, o asmático cada vez tem mais sintomas e passa necessitar de mais broncodilatador, utilizando muitas vezes de forma abusiva as "bombinhas" broncodilatadoras. Assim é importante ficar claro que as "bombinhas" não são todas iguais. Existem "bombinhas" antiinflamatóras, que devem ser usadas diariamente de manutenção, para controle da inflamação e consequente prevenção dos sintomas e, existem "bombinhas" broncodilatadoras usadas apenas para aliviar os sintomas.

24. Se estou bem, preciso tomar remédio para a Asma ou Rinite?
Se você está bem significa que está controlado não curado! A asma e a rinite são doenças crônicas e portanto exigem tratamento contínuo, ou seja, durante toda a vida. Os hipertensos e os diabéticos também utilizam seus medicamentos diariamente mesmo que não sintam nada. O que pode ser feito é diminuir as doses ou fazer um esquema "mais leve" em alguns períodos do ano quando a doença tende a estabilizar-se; mas só o seu médico pode definir se esta possibilidade é adequada ao seu caso.
25. Medicação Gratuita
Caro Associado
A ABRA - SP comunica a todos os associados e colegas que o governo está disponibilizando medicamento de alto custo para os pacientes com Asma.
Temos o objetivo de informar a disponibilização do medicamento no posto de saúde do Glicério localizado à Rua Leopoldo Miguez, 327 - bairro do Cambuci.
Para atender a demanda da população para medicamentos de alto custo o governo exige que os pacientes cadastram-se no SUS necessitando apresentar cédula de identidade e comprovante de endereço.
E só dirigir-se (pessoalmente ou um paciente) ao balcão no portão 5 da Rua Leopoldo Miguez e retirar os formulários para preenchimento e cadastramento no SUS. Você será informado de como seu médico preencherá o formulário, o remédio disponível na farmácia no momento e os meios para obter o medicamento.
Temos de salientar que a aquisição do medicamento é burocrática, mas extremamente necessária, pois ao retirarmos o lote de medicamento para Asma o Governo disponibilizará mais e menos burocrática.
Pedimos ao Associado que supere a burocracia governamental e retire seu medicamento para não “encalhar” o remédio na prateleira, e nós da ABRA-SP trabalharemos em conjunto para viabilizar ao paciente maior agilidade no processo burocrático.

26. O que são antinflamatórios não hormonais?
Como o nome diz, antiinflamatórios são substâncias que tem o poder de desinflamar. O antinflamatório mais antigo é a aspirina (ácido acetil salicílico-AAS), que foi produzida em laboratório há dezenas de anos. De lá para cá, muitas substâncias foram desenvolvidas baseadas na fórmula da aspirina, trocando-se algum radical ( substância menor que está ligada à substância principal). Com isto foi-se tentando melhorar o poder de desinflamação e diminuindo os efeitos colaterais. Há vários nomes comerciais bem conhecidos : Cataflan, Vioxx, Voltaren, Tanderil e muitos outros. Os antinflamatórios hormonais são fórmulas derivadas dos hormônios da glândula suprarenal, que são as cortisonas. Isto quer dizer que nós produzimos cortisonas o tempo todo, por isso não se deve ter tanto pavor no uso de cortisona, já que é uma substância própria do nosso corpo. Enquanto que os antinflamatórios hormonais ( cortisona e seus derivados) são excelentes para tratamento da asma, os antinflamatórios não hormonais não tem qualquer efeito na asma. Ao contrário, de 5 a 20% dos asmáticos não podem tomar antinflamatórios não hormonais porque podem desencadear crises de asma.
27. Existem protocolos para a utilização do Xolair? A aplicação é ambulatorial ou hospitalar?
É experimental? Qual o resultado?
O medicamento Xolair já saiu da fase experimental e está disponível no
mercado.
O Xolair está indicado para asmáticos que já recebem corticóide inalatório, broncodilatador de longa duração, corticóide por boca, e ainda assim, tem dificuldade de controle do quadro clínico.
Uma outra exigência da bula é que o paciente tenha uma dosagem de IgE de 30 até 700 unidades.
Ele é aplicado ambulatorialmente, e só deve usá-lo quem tem, realmente, necessidade dele.

28. O que é bebê chiador?
Este é o nome que damos às crianças de até 3 anos que apresentam quadros de sibilância, com peito cheio e sinais que parecem resfriado. Sabemos que grande parte delas deverá evoluir para asma persistente e ao iniciarmos o tratamento mais precocemente protegeremos das complicações. Não existem exames nesta idade, confie no seu médico e converse abertamente com ele!
29. Alguns alimentos que devem ser evitados por pacientes com asma e refluxo gastroesofágico;
  • doces, chocolates;
  • frituras e alimentos gordurosos;
  • comidas condimentadas e picantes;
  • bebidas gasosas e alcoólicas;
  • alimentos ácidos;
  • frutas cítricas: laranja, limão, abacaxi
  • leite (exceto os livres de gorduras)
  • vegetais crucíferos como cebola, repolho e brócolis;
    café.
30. Bronquite.Como se adquire e como tratar a doença?
Como melhorar a imunidade para prevenir seu surgimento? Bronquite é o nome popular da asma em algumas regiões do nosso país. Não é uma doença adquirida e desenvolve-se em indivíduos geneticamente predispostos. Estes individuos apresentam maior facilidade para se tornar sensíveis a poeira ácaros, pólens ... esta sensibilidade provoca uma inflamação nas vias aéreas o que causa a asma (bronquite).
31. Tosse: qual a diferença entre tosse seca e a tosse produtiva?
Uma simples tosse pode evoluir para um quadro mais grave, como asma? Como evitar isso? O que os pais tem de observar na criança?A tosse seca não tem catarro e a produtiva sim. A tosse não evoluiu para asma, mas pode ser um dos sintomas da doença, se a tosse começa após esforço físico e vem acompanhada de chiado no peito e/ou falta de ar, vc deve procurar o médico para melhor avaliação. Para evitar a tosse, devemos ver o que a está causando, se for uma infecção temos que tratá-la com antibiótico, se for uma alergia, o tratamento será diferente. Os pais devem observar os sintomas associados; catarro (quantidade e cor), febre, chiado, falta de ar ... para informar ao médico na consulta.

32. Gripes e resfriados: Quais os problemas mais frequentes na volta às aulas?
Como melhorar a imunidade para prevenir o aparecimento dessas doenças? Esse quadro pode causar asma? As gripes e resfriados costumam piorar a asma em quem já tem a doença. Nas crianças menores (primeiros meses de vida), algumas viroses respiratórias podem facilitar o aparecimento de asma. A boa resposta do sistema imunológico depende de boa alimentação, boa noite de sono, atividade física adequada, e nos casos de alergia, do controle da exposição no ambiente.
33. Sinusite: Qual a relação da sinusite com a asma?
Uma pode prejudicar a outra? Os asmáticos podem ter mais sinusite do que a população geral. A sinusite é a principal consequencia da rinite mal controlada, e a rinite está presente em cerca de 90% dos individuos com asma.
34. Por que a asma é tão comum entre crianças?
A asma é uma doença que envolve vários fatores. Aparece apenas em pessoas que tem uma predisposição genética (fator genético),e na medida em que estas pessoas crescem e/ou vivem em um ambiente que favoreça o desenvolvimento da doença (fatores ambientais) os sintomas aparecem. A combinação destes fatores geralmente ocorre nos primeiros anos de vida e por isso há uma maior prevalência entre as crianças.
35. Que iniciativas a Abra-SP promove com relação à asma no Brasil?
E quanto a pacientes na infância, algo em especial? A ABRA-SP vem desenvolvendo atividades há dez anos com o objetivo de levar informação aos asmáticos e seus familiares sobre a doença e suas principais conseqüências, visando a melhoria da qualidade de vida. Realizamos palestras mensais de orientação aos associados; em parceria com secretarias de estado desenvolvemos atividades educacionais nas escolas da rede estadual em todo o estado (Projeto PAPAR) e facilitamos o acesso do paciente ä medicação disponibilizada pela rede pública, através do Programa AGILIZAÇÃO. Os alvos de nossas ações são todos os asmáticos, independentemente da faixa etária, portanto não temos ações específicas para crianças
36. Quais formas de tratamento existem e quais são mais recomendadas a crianças?
O tratamento deve ser dividido em tratamento de controle – a base de antiinflamatórios e que deve ser usado continuamente para evitar as crises, e o tratamento de resgate – a base de broncodilatadores, que abrem os brônquios e devem ser usados para aliviar os sintomas na crise.
37. Quais as principais orientações dadas aos pais e aos pacientes?
Procurar sempre acompanhamento médico, não tratar a doença apenas nas crises, identificar os fatores desencadeantes e evitá-los e não suspender o tratamento sem orientação médica.
38. 60% dos asmaticos são crianças. Isso é reflexo de um índice antigo ou foi um aumento repentino?
Nas duas ultimas decadas houve um aumento progressivo na prevalencia das alergias respiratórias em todo o mundo. Várias explicações tem sido levantadas, mas boa parte dos estudos mostra que as pessoas passaram a se expor mais aos alergenos (acaros, pelos, mofo...) na medida em que começaram a viver em ambientes mais fechados, com ar condicionado, maior quantidade de pessoas em um mesmo local, tabagismo, sedentarismo, enfim a modernização dos hábitos de vida parecem ter influenciada neste aumento.
39. O que é Termoplastia Brônquica (BT) ?
A termoplastia brônquica (BT), conduzida com o sistema Alair™, não é um medicamento, trata-se de um procedimento ambulatorial seguro que proporciona redução de longa duração aos ataques de asma em pacientes que sofrem com o tipo grave da doença. Redução das crises graves de asma significa menor necessidade de recorrer a tratamento com esteroides orais associados, com efeitos secundários.

Como se realiza a BT
Durante o procedimento, um pequeno dispositivo, cuidadosamente controlado, envia calor moderado à musculatura lisa das vias aéreas dos pulmões.
Não é necessária qualquer incisão, pois o procedimento é realizado com o apoio de um broncoscópio, inserido através do nariz ou da boca.
Quando o tratamento da BT estiver concluído, o paciente poderá retornar ao seu pneumologista para acompanhamento e correta prescrição dos medicamentos de controle da asma.
A BT diminui os ataques de asma, reduzindo o tecido da musculatura lisa das vias respiratórias
As pessoas com asma grave possuem a musculatura lisa das vias respiratórias aumentada ³
Durante um ataque de asma, este tecido em excesso promove uma constrição das vias respiratórias mais significativa, dificultando ainda mais a respiração.
Os medicamentos para a asma ajudam na expansão e desobstrução das vias respiratórias, mas nem sempre funcionam bem em pessoas com asma grave
A BT é uma terapia complementar aos medicamentos recomendados para a asma

O resultado da BT está clinicamente comprovado.
Ao final de um ano dos estudos clínicos, os pacientes com asma grave submetidos ao tratamento com BT apresentaram:
32% de diminuição das crises de asma grave
84% de redução das visitas a hospitais devido à asma
66% de redução em dias perdidos no trabalho, na escola e nas atividades diárias devido à asma
E ainda:
79% dos pacientes submetidos ao tratamento BT demonstraram melhora significativa da qualidade de vida
Também foi demonstrado que os ataques de asma e as visitas a hospitais mantiveram-se reduzidos durante o período de acompanhamento destes pacientes ao longo de 5 anos.

A BT, que utiliza do sistema Alair, é um procedimento de ambulatório seguro
Tal como em qualquer outro procedimento, existem riscos e os resultados individuais podem variar. O efeito adverso mais comum da BT é o agravamento temporário dos sintomas relacionados com o trato respiratório (crises de asma). Estes efeitos ocorrem tipicamente cerca de um dia após o tratamento, desaparecendo, geralmente, em menos de uma semana com o tratamento convencional para crises de asma. O risco de hospitalização ocasionada pelos sintomas relacionados ao tratamento é mínimo, apenas 3,4% dos casos.

Resumo das indicações relevantes de utilização, contraindicações, advertências e efeitos adversos:
O sistema de Bronco Termoplastia Alair™ é indicado ao tratamento da asma grave persistente em pacientes maiores de 18 anos, cuja asma não pode ser controlada, mesmo com as doses máximas de corticosteroides inalados e beta-agonistas de longa duração (terapia padrão utilizada no tratamento da asma). O sistema Alair não deve ser usado em pacientes com dispositivos médicos implantáveis ativos ou com sensibilidade conhecida a medicamentos usados na broncoscopia. Vias aéreas pulmonares previamente tratadas por BT não devem ser tratadas novamente com o sistema Alair. Os pacientes devem estar em condições estáveis e apropriadas para serem submetidos a uma broncoscopia. Os efeitos secundários mais comuns da BT são o aumento transitório na frequência ou no agravamento dos sintomas relacionados com o trato respiratório (crises de asma).
ATENÇÃO: A venda deste aparelho é limitada a pneumologistas com especialização em broncoscopia terapêutica, e a sua indicação deve ser feita por prescrição médica.

ASMA e a gripe H1N1
Os pacientes asmáticos fazem parte do grupo de risco para H1N1. Isto quer dizer que se contraírem a doença, há possibilidade de uma evolução com maior gravidade. As infecções virais de vias aéreas, são fatores importantes no desencadeamento de crises. Portanto devem ser vacinados contra a gripe anualmente.
Receba novidades
Alameda Iraé, 620 conj. 103 - Moema - São Paulo/SP - CEP: 04075-903 - Fones: (11) 5549-8199 | 3501-8854 | 0800 773 8199
2017 © ABRA - Associação Brasileira de Asmáticos - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por