Notícias

  • Bombinhas, conheça melhor este tabú
    « Voltar · 19/SET/2017

     

    COMPARTILHE:

     

    A asma é uma doença inflamatória crônica das vias aéreas inferiores (brônquios e bronquíolos) que não tem cura, porém, tem controle. O seu tratamento baseia-se no controle ambiental, na administração de medicamentos antiinflamatórios de manutenção, por um período prolongado e, no uso de broncodilatadores para alívio dos sintomas. Os antiinflamatórios mais potentes são os corticosteróides. Os broncodilatadores apenas relaxam a musculatura dos brônquios dilatando-os, com conseqüentemente alívio dos sintomas (tosse, chiado, aperto no peito e falta de ar). Esses medicamentos, não tratam a causa da doença, a inflamação das vias aéreas, a qual tende a piorar, deixando-as hiperreativas e cada vez mais sensíveis a diversos estímulos, tais como: pó doméstico, fungos, mudança de temperatura, irritantes (perfume, cigarro, inseticida, produtos de limpeza, etc.).
    A medida que iniciamos o tratamento correto, com um medicamento antiinflamatório, a inflamação passa a ser controlada e os sintomas tendem a desaparecer.
    É importante entender o conceito da doença, pois, embora os sintomas melhorem rapidamente, a inflamação demora meses ou anos para ser totalmente controlada e por isso, o medicamento antiinflamatório deve ser mantido diariamente, mesmo na ausência de sintomas.
    Atualmente existe um consenso de que a melhor forma de administrar medicamentos antiinflamatórios e broncodilatadores na asma é por via inalatória. Quando o paciente inala um medicamento, utilizamos uma dose muito menor de medicamento, atingindo mais rapidamente e em maiores quantidades as vias aéreas, atuando assim diretamente sobre as áreas inflamadas e contraídas. Além disso, os medicamentos inalados tem uma menor absorção pelo resto do organismo e portanto, menos efeitos colaterais. Assim, os corticosteróides e broncodilatadores inalados são muito seguros, sendo hoje o tratamento de escolha após orientação correta.
    Existem várias formas de se administrar medicamentos inalatórios, as mais utilizadas são:
    1-Nebulização – através da inalação comum, podemos administrar broncodilatadores e antiinflamatórios, porém, as opções de medicamentos disponíveis são poucas e os broncodilatadores, por serem medicamentos de alívio dos sintomas, devem estar sempre com o paciente, o que se torna difícil com o inalador. Assim, a inalação hoje é mais utilizada para aqueles pacientes que apresentam dificuldades de coordenação para usar medicamentos através das “bombinhas”.

    2-Nebulímetros – mais conhecidos como bombinhas, contém o medicamento, que pode ser um antiinflamatório ou um broncodilatador ou, ambos juntos e, um gás propelente. É prático, portátil porém, depende da coordenação do paciente para utilizá-lo de forma adequada e assim, aumentar a quantidade de medicamento absorvido pelas vias aéreas. Sempre que o medicamento for um antiinflamatório (corticosteróide), a “bombinha” deve ser acoplada a um espaçador, o qual é um intermediário, que diminui a velocidade do jato, aumenta a deposição do medicamento nas vias aéreas, diminuindo sua deposição na boca e assim, seus efeitos colaterais. Portanto, “bombinhas” não são todas iguais e não fazem mal ao coração. O que freqüentemente acontece, é que o asmático só utiliza broncodilatador. Não tratando a inflamação, as vias aéreas se tornam mais sensíveis, os sintomas mais persistentes e graves e, muitas vezes, o paciente abusa no uso da “bombinha” broncodilatadora, a qual como efeito colateral, pode ocasionar tremores e palpitações se utilizada em excesso.
    3-Inaladores de Pó Seco – também práticos e portáteis, se semelhantes as “bombinhas” porém, contém um antiinflamatório ou um broncodilatador ou ambos na forma de pó e não necessitam de tanta coordenação motora para sua utilização. Existem vários dispositivos inalatórios de pó seco, os mais conhecidos são: o diskus, o turbuhaler, o pulvinal e o aerolizer. Cada deles apresenta vantagens e desvantagens cabendo ao paciente, juntamente com seu médico escolher o melhor dispositivo.

    Assim, deve ficar claro que o tratamento da asma baseia-se no controle ambiental, associado ao uso de um antiinflamatório, geralmente um corticosteróide inalatório, com ou sem broncodilatador, de manutenção e, um broncodilatador de ação rápida, também inalatório, para alívio dos sintomas. Procure seu médico, vocês dois juntos poderão escolher os melhores medicamentos e dispositivos inalatórios para o seu caso.

     

    Listar Todas as Notícias
Receba novidades
Alameda Iraé, 620 conj. 103 - Moema - São Paulo/SP - CEP: 04075-903 - Fones: (11) 5549-8199 | 3501-8854 | 0800 773 8199
2017 © ABRA - Associação Brasileira de Asmáticos - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por